YES | 7° Capítulo.


Olá.
Quero dar as boas-vindas para todas as novas leitoras e alertar que troquei a narrativa de YES da primeira pessoa para terceira pessoa, mas nada irá interferir nisso.
Os comentários estão respondidos aqui.
Boa leitura.
***

- Ela está acordando. – O médico informou atento. – Demetria?
- Onde estou? – Demi tentou levantar, mas a dor abdominal voltou.
- Está a caminho do hospital. Você desmaiou na rua e teve um sangramento.
- E-Eu estou gravida. – Demi disse fechando os olhos.
- Nós sabemos, faremos de tudo para manter seus filhos com saúde.

Demi apagou novamente antes que chegasse ao hospital.
Ao abrir os olhos novamente, Demetria não sentia mais nenhuma dor e o ambiente era outro. Antes que estava em movimento em um cubículo fechado, agora estava em um quarto de hospital semelhante ao de Joe. Ela olhou em volta e viu Miley sentada em uma poltrona perto da porta lendo revista.

- Estou com sede. – Demi disse vendo uma garrafa na beirada na cama.

Miley correu para servi-la e depois chamou a doutora que estava no corredor. A dra. Andy entrou no quarto com uma expressão séria e reparou que Demi ainda estava zonza, não tinha reparado nada diferente em sua fisionomia.

- Demi... – A dra. Andy aproximou-se e retirou o copo na mão de Demi. – Vou falar algumas coisas que aconteceram hoje com você e você tentará reagir com calma com todas elas porque pode ser pior.

Demi passou a mão na barriga, mas tudo estava com no início da manhã. Por um segundo sentiu alivio, mas a doutora não mudou de postura.

- Você perdeu um dos gêmeos. – A dra. anunciou e Demi ficou paralisada. – Você levou um choque essa manhã e um dos gêmeos não resistiu toda a pressão, além da queda que você teve no meio da rua. Infelizmente, você terá apenas um filho e como você está com quase três meses de gravidez o processo será dolorido psicologicamente.
- O que quer dizer com isso? – Demi questionou.
- Nós entraremos em cirurgia para retirar o que não sobreviveu e manter o outro até que seja saudável nascer ou que não prejudique você. – A doutora respirou fundo. – Nós já sabíamos que era uma gravidez de risco, então, não se culpe por isso. Você será monitorada aqui e em casa.
- Era só isso? – Demi virou o rosto para conter as lagrimas.
- Miley disse qual foi sua última conversa no telefone e eu me certifiquei do quadro do seu marido. Ele ainda está em coma. – Houve um silencio na sala. – Eu recomendo a você nesse momento que pare de ir onde Joseph lecionava, evite que todas as lembranças sobre o que aconteceu voltem porque você tem outra vida para quem pensar, Demi. Eu torço para que Joe volte a vida, eu sei e vejo o quanto ama ele, mas nesse momento você deve pensar em você.
- Eu sei... – Demi respondeu com um sussurro.

A doutora Andy chamou Miley para algumas instruções antes de entrarem em cirurgia, enquanto Demi chorava em silencio na cama alisando sua barriga que já estava nem curvada.

***
- Do que está falando, Selena?
- Mamãe deu a chave do carro para nós irmos de carro para a faculdade. – Selena respondia pela terceira vez o irmão.
- O que aconteceu com sua preocupação com o meio ambiente e gostar de fazer caminhadas? – O rapaz riu com as respostas da irmã, ele não entendia porque de uma hora para outra ela queria ir de carro para faculdade.
- Apenas não quero mais caminhar. Difícil entender isso!? – Ela bufou. – Aliás, não era você que tanto pedia para mamãe a chave do carro. Consegui isso.
- Eu só queria um motivo razoável do que “eu quero”.
- Ouvi dizer que estão roubando alunos e não quero ser roubada. – A moça sorriu e deu de ombros. – Satisfeito?
- Nunca ouvi dizer sobre roubos por lá, mas tudo bem. – Ele fez pouco caso. – Já que ela autorizou o carro vou precisar na sexta-feira.
- Peça para ela. – Selena riu.
- Você sabe que nossa mãe não me escuta. – Ambos riram e concordaram.
- Tudo bem... – A garota concordou. – Sabe, eu fico feliz em ver você sorrindo novamente.
- Eu também... – Ele respirou fundo. – Eram meus amigos.
- E Ester. – Selena completou. – Você sente falta de todos e de Ester.
- Sim, Ester. – Ele riu ao lembrar de sua falecida namorada. – Ao menos foi condenado. – Disse referindo-se a Dirk Fran.
- Você sonha com ele, não é, Klaus?
- Às vezes... – Ele respondeu um pouco sem graça. – Não só com ele.

Selena concordou com a cabeça e tomou o controle da mão do irmão e ligou a televisão. Klaus encostou a cabeça no estofado e deixou que seus pensamentos fossem levados aos seus amigos e Dirk. Ele era assombrado pelo ocorrido todos os dias.
Pensava no motivo de ter sido poupado da morte ou pensava que foi poupado dela.


CONTINUA.
Theme by Corina B.